A importância da transição alimentar para a vida do bebê.

Postado em: 14 de janeiro de 2014 às 05:53

É importante para o desenvolvimento do bebê que sua alimentação evolua de acordo com o avanço de sua idade. O bebê possui funções vitais como: sucção, deglutição e respiração, bem como a coordenação entre elas. E precisa ter essas funções preservadas de forma correta para que funções como a mastigação e a fala não sofram alterações.

 

968958_10151467714086260_865565000_n

Foto by Rosangela Nobre.

O bebê deve durante os primeiros 6 meses de vida deverá receber somente leite materno. Fique atenta se o bebé que está a ser amamentado com leite materno apresenta um bom desenvolvimento, se sim, este deverá continuar a ser o seu alimento exclusivo até aos 6 meses; nesse caso, só a partir dessa idade deve iniciar a introdução de alimentos diferentes. Se o bebé está a fazer aleitamento com leite artificial ou se a mãe passa a ter menor disponibilidade, nomeadamente por regressar à sua atividade profissional, a diversificação alimentar poderá ser iniciada aos 4 meses. A função da sucção envolve e colabora no desenvolvimento de vários grupos musculares e parte óssea da região oral, favorecendo o equilíbrio entre as estruturas. Contribuindo, assim, para o estímulo do crescimento da mandíbula, o que propiciará uma harmonia facial, bem como um bom desenvolvimento dos órgãos fonoarticulatórios responsáveis pela articulação dos sons da fala. Fisiologicamente a criança amamentada no peito desenvolverá pelo movimento da mandíbula, a exercitação da mandíbula, musculatura orofacial, bochechas, lábios e língua.

A partir do sexto mês ou em alguns casos no quarto mês, introduza o alimento pastoso. Isso contribuirá para maturação da mandíbula, musculatura orofacial, bochechas, lábios, língua e deglutição. Dentro desse período a mastigação se manifesta pelos movimentos verticais, a língua amassa os alimentos contra o palato. Iniciam-se os movimentos de lateralizarão, a língua começa a lateralizar o alimento.

A partir dos 11 aos 12 meses não há “restrições alimentares” (a não ser que sejam indicadas pelo profissional de saúde que acompanha o crescimento do bebé). O alimento sólido pode ser constante, sem medo. A partir do oitavo mês, os incisivos centrais inferiores descem, e do 1 ano a 1 ano e meio, a mandíbula começa com movimentos rotatórios, a mastigação já tem condições de ser bilateral e os lábios ficam em selamento. Nesta época, já se considera a mastigação com o padrão de adulta.

Lembre-se que o sucesso dessa transição alimentar acarretará em uma boa articulação dos sons da fala, já que esta, está ligada ao equilíbrio das funções neurovegetativas de respiração, sucção, mastigação e deglutição. Cuide do seu bebê e procure um profissional que a oriente como passar por essas etapas e ajudar o seu bebê.

Sugestão de fonte:
http://www.passe.com.pt/public/upload/pdf/pontosnosii/diversificacao_alimentar.pdf
http://bebe.abril.com.br/0-12-meses/alimentacao

Referencia Bibliográfica:
Beuttenmuller,G e Câmara, V.Reequilíbrio da Musculatura Orofacial, Entrelivros, 1989.

Pri ribeiro

 

 

By Priscila Ribeiro

Fonoaudiologia Especialista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *